quem sou eu agora?

nove meses passados desta perda que continua a sangrar, as únicas alterações positivas ou pelo menos as que me parecem sentir são de grande saudade e desejo de voltar atrás. acho que com 41 anos de “gosto” pela paz que a tristeza me transmitia nunca deixarei de equacionar de me juntar ao repouso que a minha mãe teve. de facto a angustia de aliviar a dor de não saber para onde me virar, sem a minha mãe, não me tem atormentado tanto e é um pouco substituída pela recordação do carinho, segurança e paz que sentia enquanto ela era viva.

ela não volta, o meu irmão apesar de tudo mantém-se, nem que seja pelos filhos mas eu que pouco aprendi sobre viver normalmente, sem o SOS que sempre foi para mim a minha mãe, o cansaço que sempre existiu deita-me por terra mal chego a casa.

a minha casa está um caos, nem sei para onde me virar, só me apetece estar deitado o dia todo e tentar sonhar mais um pouco.

nunca consegui manter contactos com as pessoas mais próximas pois a ansiedade, mesmo quando alguém mais chegado me convencia a sair, a ansiedade é tanta que a única forma de eu me aliviar dessa angustia é fechar portas e janelas e dizer que não vou, sem direito a resposta à outra pessoa, como bom cobarde.

no fundo posso resumir que não aprendi a viver e o medo e o cansaço juntos com a ansiedade e tristeza tomam conta de mim.

 

Anúncios

One thought on “quem sou eu agora?

  1. Não deixes a tristeza vencer, não a deixes tomar conta de ti. Tu és mais forte que ela. Nove meses passaram….nove meses, o tempo que levamos para nascer. Porque não renascer? Não te importes com o estado da casa, pensa que os amigos próximos estão realmente próximos, à distância de um “Alô”, que se são próximos não os afastaste; que se te apetece sonhar, é melhor sonhar com um novo modo de estar, com um novo modo de viver: com as memórias boas, os cheiros que ficam, os carinhos que relembras, as imagens que permanecem, o amor que fica sempre, sempre. E pensa que a tua mãe está contigo, de uma outra forma, em paz e sem sofrimento. E, onde quer que esteja, está ansiando por te ver seguir a vida, cabeça erguida, coração cicatrizado, olhando a cada dia o sol, o céu, dando graças por estar aqui. Tens quem precise de ti, és importante para muitos. Ergue-te, Carlito, vive apenas um dia de cada vez, o dia presente, e em memória e em louvor de quem tanto te amou, segue em frente. Assim a honrarás.!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s